Como Viúva de Ferro virou um dos meus livros favoritos da vida?

A própria história da autore revela muito sobre o que essa história representa, e quando nos agradecimentos, elu diz: “…que me apoiou durante todo o tempo em que eu me transformava de uma estatística a uma sobrevivente forte o bastante para escrever esta história.” Forte, né?

O que eu gostei:

Cenas de luta, representatividade (tanto autoral, quanto dos personagens), construção da história embasada na cultura, história e mitologia chinesa, ambientação distópica em lugares reais/atuais e uso dos elementos da natureza e do taoismo para desenvolvimento não apenas das lutas, mas também para a evolução da percepção da personagem principal. 

Todos os elementos que compõe o livro são muito bem amarrados dentro do contexto da história, e tem alguns “easter eggs” históricos muito legais no desenrolar, como: o nome da personagem principal, Wu Zetian, é o nome da Imperatriz Wu, que foi a única mulher na história da China que ocupou o trono imperial. Ao fazer essa leitura, pesquise muito sobre todas as criaturas e lugares, como os hunduns (criaturas mitologicas) ou dinastia Tang (pertencente à dinastia que havia reunificado a China entre 581 e 618). Até mesmo o nome que se dá ao país no livro, Huaxia era um termo usado na literatura chinesa histórica e muitas vezes usado para representar a China e a sua civilização.

Tudo sobre esse livro é incrível, mostra um conhecimento, aprofundamento e amarração de desenvolvimento e contexto maravilhoso por parte de @xiranjayzhao. Inclusive, elu já confirmou que terá continuação e escreveu no Goodreads: “Be careful what you wish for because you just might get it in the worst way possible“, especula-se que o nome (em inglês) será Heavenly Tyrant. 

O que não gostei:

Não acredito que seja algo que onere na história ou atrapalhe o desenvolvimento, que inclusive até pode ser um ponto sobre tradução ou ser explicado na continuação. Porém, alguns momentos pareceram que foram desconectados da história e não situaram direito o porquê dos personagens estarem indo para determinado lugar, a cena já corta eles no lugar. Mas pensando em tudo que citei acima, não tem como tirar absolutamente NADA dessa história, queria poder dar mais estrelas.

IMPORTANTE: Se a sua expectativa é ler romance, você não encontrará isso aqui. O relacionamento dos personagens é tratado de forma superficial e somente para entonar o emponderamento da personagem. Não se deixe enganar por fanarts ou resenhas que vendem um triângulo amoroso ou trisal. O foco da história é na luta pela libertação como ser humano e para sermos e nos relacionarmos como quisermos, visto que o patriarcado nos colocou em estruturas e de relações que favorecem os homens no domínio da família, como o pai/marido mantendo a autoridade sobre as mulheres e as crianças.

“Não é meu dono. Ninguém é. Podem achar que são, mas não importa o quanto me xinguem, me ameacem ou me espanquem, jamais vão conseguir controlar o que se passa na minha cabeça, e acho que isso lhes causa uma frustração sem fim.”

Se ler, me chama pra surtar ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s