Como Viúva de Ferro virou um dos meus livros favoritos da vida?

A própria história da autore revela muito sobre o que essa história representa, e quando nos agradecimentos, elu diz: “…que me apoiou durante todo o tempo em que eu me transformava de uma estatística a uma sobrevivente forte o bastante para escrever esta história.” Forte, né?

O que eu gostei:

Cenas de luta, representatividade (tanto autoral, quanto dos personagens), construção da história embasada na cultura, história e mitologia chinesa, ambientação distópica em lugares reais/atuais e uso dos elementos da natureza e do taoismo para desenvolvimento não apenas das lutas, mas também para a evolução da percepção da personagem principal. 

Todos os elementos que compõe o livro são muito bem amarrados dentro do contexto da história, e tem alguns “easter eggs” históricos muito legais no desenrolar, como: o nome da personagem principal, Wu Zetian, é o nome da Imperatriz Wu, que foi a única mulher na história da China que ocupou o trono imperial. Ao fazer essa leitura, pesquise muito sobre todas as criaturas e lugares, como os hunduns (criaturas mitologicas) ou dinastia Tang (pertencente à dinastia que havia reunificado a China entre 581 e 618). Até mesmo o nome que se dá ao país no livro, Huaxia era um termo usado na literatura chinesa histórica e muitas vezes usado para representar a China e a sua civilização.

Tudo sobre esse livro é incrível, mostra um conhecimento, aprofundamento e amarração de desenvolvimento e contexto maravilhoso por parte de @xiranjayzhao. Inclusive, elu já confirmou que terá continuação e escreveu no Goodreads: “Be careful what you wish for because you just might get it in the worst way possible“, especula-se que o nome (em inglês) será Heavenly Tyrant. 

O que não gostei:

Não acredito que seja algo que onere na história ou atrapalhe o desenvolvimento, que inclusive até pode ser um ponto sobre tradução ou ser explicado na continuação. Porém, alguns momentos pareceram que foram desconectados da história e não situaram direito o porquê dos personagens estarem indo para determinado lugar, a cena já corta eles no lugar. Mas pensando em tudo que citei acima, não tem como tirar absolutamente NADA dessa história, queria poder dar mais estrelas.

IMPORTANTE: Se a sua expectativa é ler romance, você não encontrará isso aqui. O relacionamento dos personagens é tratado de forma superficial e somente para entonar o emponderamento da personagem. Não se deixe enganar por fanarts ou resenhas que vendem um triângulo amoroso ou trisal. O foco da história é na luta pela libertação como ser humano e para sermos e nos relacionarmos como quisermos, visto que o patriarcado nos colocou em estruturas e de relações que favorecem os homens no domínio da família, como o pai/marido mantendo a autoridade sobre as mulheres e as crianças.

“Não é meu dono. Ninguém é. Podem achar que são, mas não importa o quanto me xinguem, me ameacem ou me espanquem, jamais vão conseguir controlar o que se passa na minha cabeça, e acho que isso lhes causa uma frustração sem fim.”

Se ler, me chama pra surtar ❤

Como funciona o Kindle Unlimited e Indicações de Leituras

✨ O que é o Kindle Unlimited?

Kindle Unlimited é um serviço de assinatura da Amazon que oferece acesso ao empréstimo uma grande seleção, sendo possível emprestar de até 10 títulos de uma vez sem datas de devolução. Se você nunca usou o Kindle Unlimited, é possível fazer uma avaliação gratuita de 30 dias. Ao final do período de teste gratuito, sua assinatura será automaticamente convertida para uma assinatura mensal paga, que hoje custa R$ 19,90 e eventualmente fica pelo valor promocional de R$ 1,99 por 3 meses. É possível assinar o serviço e ler não apenas no e-reader da Amazon, mas também pelo aplicativo Kindle disponível para download em celulares, tablets e computadores.

São mais de 700k títulos disponíveis entre livros, hqs e revistas.

✨ O Kindle Unlimited compensa?

Se o serviço compensa, variará conforme a disponibilidade financeira e seu hábito de leitura. Por exemplo, caso você invista mensalmente em novos livros pode ser uma possibilidade economizar e ter uma opção mais sustentável, ou, optar por colecionar títulos físicos que você considera imprescindíveis em sua coleção (uso da segunda opção, hehe).

✨ Aqui alguns dos meus queridinhos que li pelo Kindle Unlimited:

📌 Long Shot (e os demais livros da série) – Kennedy Ryan
📌 Harry Potter (sim, tem todos eles) – JK Rowling
📌 Drácula (tem clássico também) – Bram Stoker
📌 Cretino Abusado (eu recomendo esse todo dia) – Penelope Ward e Vi Keeland
📌 Birthday Girl (pra você começar a ler minha favorita) – Penelope Douglas
📌 O Silêncio das Águas (se nunca leu nada da Brit, vem se apaixonar) – Brittainy C Cherry
📌 Tudo que Quero (vou fazer meu jabá) – Jaqueline Roiz
📌 Bocas Costuradas Não Contam Histórias (tem suspense também, bebê) – Luisa Borges e Ana França

Gostou das dicas? Me conta nos comentários!

Livro de Fantasia para Começar? As Crônicas de Amor e Ódio

Sim, é isso mesmo, se você quer ler fantasia e não sabe por onde começar, a série As Crônicas de Amor e Ódio são um prato cheíssimo de tudo para te fazer apaixonar pelo gênero: tem guerra e lutas, tem líderes tiranos, mocinhas corajosas, príncipe, assassino e inúmeras situações de te deixar sem ar.

Podemos considerar As Crônicas como uma baixa fantasia, pois, embora ele se passe em um lugar fictício e a protagonista tenha um dom especial, não existem tantas diferenças de um mundo antigo que já existiu.


No primeiro livro, The Kiss of Deception, Lia está sendo preparada para seu casamento arranjado, sendo uma obrigação enquanto princesa. Não precisa ser adivinho para saber que ela vai fugir e é aí que todo o desenrolar de toda a série se dá, embora para o reino ela tenha aparentemente feito, pouco caso de sua obrigação como Primeira Filha, é ai que ela descobre o seu verdadeiro povo e propósito.
Essa série não tem o romance como base, então se você espera ler algo com muito hot, muito envolvimento romântico, não é o ponto focal embora tenham casais sendo formados, e você até possa desenvolver simpatia por um dos dois mocinhos do livro. Não é um triângulo de disputa, ninguém brinca com os sentimentos de ninguém e para jovens de 17-20 anos, não são pessoas com ações juvenis ou inconscientes e inconsequentes. Muito se dá pelo contexto em que ambos, de diferentes formas, lutam por um ideal, um povo e por si mesmos.


O segundo livro, The Heart of Betrayal, é um pouco mais parado, o tipo de escrita da Mary costuma deixar os plots mais para o final com uma leitura densa e mais consistente no desenrolar, isso te prende e te deixa ansioso, se você tiver um perfil de leitura que curte que as coisas aconteçam mais rápidas ou terem um plot a cada capítulo, isso não rolará aqui. Mas nesse livro Lia começa a entender seu dom e seu propósito, tem luta, sangue, morte e muitas explicações sobre os reinos.


Porém, tem o livro 3 meus amigos que é o The Beauty of Darkness e aí é dedo no cy e gritaria sim, meus irmãos! É plot para todo lado, muita ação e muita expectativa para saber se Lia vai conseguir atingir o sucesso da sua empreitada, se todos os personagens ficarão vivos, e claro, como boa cachorrinha de romance, se a Lia ficará com alguém no final da história (e sim, meus queridos amantes de romances, ela fica com alguém).
Vi muitas críticas sobre a série, dizendo ser parado, que não tem romance, que deu nota ruim porque a Lia ficou com um personagem que não era quem elas queriam e para ser sincera, algumas coisas são estilo da autora e como sempre digo não tem certo e errado, ou você se conecta com a escrita ou não. E sobre o par romântico de Lia, sinceramente, se ela ficasse sozinha eu ia amar do mesmo jeito, ela é autossuficiente, inteligente, determinada é aquela personagem que você quer ser amiga, quer viver lá na história com ela.


Indico muito para quem nunca leu nenhuma fantasia e quer começar ou para quem quer ler uma fantasia que não precisa decorar grandes árvores genealógicas e personagens com nomes esquisitos.

Essa história tem também um spin off, prelúdio, anexo, o Crônicas de Morrighan. Nele vemos a história de amor que deu origem ao nome do reino em que Lia nasceu, antes que os grandes reinos dos Remanescentes tivessem até mesmo nascido, uma menina chamada Morrighan e sua tribo lutava para sobreviver em meio à guerra e os chamados abutres. Mas não se engane, a Mary judia no nosso coração nessas 120 páginas e entrega tudo: luta, romance e entendimento sobre os tão mencionados por Lia, cânticos de Gaudrel, Venda, Morrighan, Jafir, etc.


Estou doida para ler a história da dinastia dos ladrões, Dance of Thieves e Vow of Thieves, que acontecem no mesmo universo que As Crônicas, mas, são histórias que se passam 6 anos depois.
Sigo ansiosa por aqui, espero que caso você não conheça essa série, eu tenha te convencido a ler ❤